} -->
londres

se inspira nos vlogs, minha gente

20:41
   Eu sei que já falei dos meus pais aqui no blog várias vezes e nunca canso de dizer que eles são os melhores pais que poderia ter. Além de me ensinarem tudo com tanto carinho e atenção, eles sempre me apoiaram em todos os meus sonhos, principalmente quando se trata de viagens. E é por isso que em janeiro estou indo para São Paulo por uma semana, depois NYC por mais sete dias e então Coreia do Sul por um mês.
   Sim, isso está acontecendo.
   Não, eu não acredito ainda, porque a ficha não caiu.
   E enquanto ela não cai, surtem comigo com essas inspirações de vlogs que, honestamente, abusam das edições e dos drones, mas que servem muito para observar o que eu quero e o que não quero apresentar de conteúdo pro Hi Moonlight. Ah, e um aviso: as imagens a seguir contam com uma série pesada de lugares incríveis que fazem parte do meu sonho de vida. Espero que compartilhem desse sonho comigo e aproveitem muito os vídeos.

Paris, Ollie Ritchie

NYC, Gabriel Conte
Esse aqui é um dos meus favoritos, pra ser bem honesta. Gostei muito da edição e da simplicidade em algumas cenas, como a do metrô. Os lugares em si são bem clichês (oi, rycos no helicóptero) então não serviu de inspiração para saber de mais parques e cafeterias para ir, mas a filmagem em si ficou incrível.

(Rock In) Rio, Gustavo Stockler
Esse do Gusta é muito interessante por ter me apresentado para as maravilhas do Adobe Premiere Pro. As edições de lá são bem mais complicadas que o humilde iMovie, mas pretendo adquirir (ou usar a versão grátis porque sim) e procurar tutoriais depois, porque simplesmente me apaixonei pelas transições e especialmente os efeitos "lentinhos" no montanha-russa, por exemplo.

Amsterdam, Stefan Krenn

Asia, Jericho Nagel
Como vocês podem ver, esse é outro Sam Kolder Inspired. O Sam é tipo um mago descobridor de novos oceanos que criou um climinha muito legal para os vlogs e apesar de eu não cuidar de cinema/vídeos há muito tempo, pelo que dei uma olhada nos trabalhos dele é bem impressionante mesmo - não só do ponto de vista de uma leiga.

Seoul, Trung Dzũg

Tokyo, Jungkook
E obviamente que não podia faltar meu editor favorito com esse vlog que mostra toda a capacidade de boyfriend material que meu Park Jimin tem, não é mesmo? Acho que uma das minhas partes favoritas (além do Jimin ser protagonista, claro), é que a música combina muito com a transição das cenas. Amei muito também a sensibilidade do Jungkook em filmar detalhes, como a lua e a sinalização de pedestre. Muito delicado mesmo.

   Mas e aí, qual seu favorito? Vai querer vlog das minhas viagens também?
   Não esqueça de se inscrever no canal Hi Moonlight e no Pra Coreia pra acompanhar as novidades.
korea

dicas de viagem (annyeong, coréia do sul)

11:51
   Muita gente acredita que eu gosto de viagem exclusivamente pela sensação de liberdade e pelas coisas novas que vou conhecer. Se não fosse pelo "exclusivamente" essa afirmação estaria bem correta, uma vez que eu simplesmente amo fazer as malas, ir para um lugar que ninguém me conhece, tentar se comunicar em uma língua diferente da minha e ver coisas que antes meus olhos não haviam visto pessoalmente. Mas a verdade é que tem uma parte da viagem que eu simplesmente amo tanto quanto todo o resto: planejamento.
   Algumas pessoas se contentam em colocar no Google "coisas para fazer em *insira o nome do destino da sua viagem aqui* em tantos dias". Eu não. E nesse post quero dar dicas de como encontrar lugares diferentes para conhecer.

Redes sociais*

Não se contente com as fotos que as pessoas postam, colega. No Facebook, por exemplo, existem grupos de pessoas que ou a) vivem no lugar ou b) também são turistas. No caso da Coreia do Sul, existe uma opção chamada Seoul Expats, em que as pessoas fazem perguntas, pedem companhia e indicam lugares. Já no Instagram, você deve abusar da ferramenta de localização. Todos os dias eu pesquiso "Seoul" e vejo o InstaStories da capital, procurando por novas opções de lugares para conhecer. Lá tem alguns perfis exclusivos de dicas também, mas eu geralmente encontro mais lugares diferentes nos perfis de blogueiras menores como a Joan e a Mandy, que é brasileira e maravilhosa. Com sorte, ela vai marcar o lugar e vai ser fácil de encontrar. Por outro lado, no Twitter são justamente esses perfis "diretos" que ajudam bastante. Dois em particular me ajudaram MUITO, mas a língua do administrador é tailândes, então muitas vezes o Google Tradutor foi meu salvador amém, Google: @once_in_seoul e @takeasipofkorea

Pesquise por palavras-chave
Algumas coisas em particular me fascinam quando quero conhecer um novo lugar, então eu normalmente procuro por elas. A verdade é que os melhores blogs (falando neles, fica aqui o Eat. Travel. Repeat. e o TimeOut, que são bons blogs. Se você assiste doramas, outros dois blogs postam localizações exatas de onde as cenas aconteceram: o Korean Dramaland e o Manager-Hyung) e artigos de indicação de viagem estão em inglês, então a dica, além de pesquisar por coisas específicas que você gosta, é usar do inglês. Voltando para as palavras-chaves, eu pesquiso muito por "different places to go" (lugares diferentes para ir - sendo que o Atlas Obscura dá localizações diferentonas mesmo) ou "cute places to go"(lugares fofos para ir). Eu procuro bastante floriculturas, museus e observatórios, porque são coisas que eu adoro ver quando estou em outros países. Procuro bastante por arte também, mas como disse antes, isso são coisas que EU gosto. Então pesquise exclusivamente por coisas que você queira ver, ok?

Faça roteiro
Dessa vez o plano é ficar um mês na Coreia, então terei tempo de sobra e não aquela pressão para ver tudo correndo. Mas ainda sim, fazer um roteiro ajuda muito na hora de economizar porque, por exemplo, alguns museus são de graça em certos dias. Fazer um roteiro contribui muito na hora de não perder nada que você tinha planejado ver antes também e você pode usar o Google para marcar com estrelinhas tudo que quiser. 



Não se contente com o digital

Com certeza que os avanços tecnológicos facilitaram muito nossa vida, mas adivinhe? Os guias físicos são ótimos também. Na hora de viajar, eu sempre digo para se ter uma mapa real e isso não é só pela minha mania de ter no físico, ok? Isso se trata de precaver. E se a internet não funcionar? Exato. O papel não precisa de wifi. Mas além dos mapas, os guias oferecem boas opções de lugares para se ir, então consulte eles também.


*BTS

Você também é fã de BTS? Eu encontrei essa lista aqui no twitter que tem todos os lugares que BTS já foi, incluindo videos filmados, programas que participaram e até lugares onde eles tiraram fotos. Achei que seria legal compartilhar. 

   Mas e aí, o que você achou das dicas? Como você procura lugares legais pra ir em outros países? Espero que vocês consigam me aguentar com os vários posts sobre a Coreia do Sul porque, como vocês notaram pela aba "brechó" lá em cima, eu estou com a data marcada (30 de janeiro!!!!!!) para viajar e tenho muito muito para contar. Qualquer dúvida, não hesitem em perguntar, ok?
textos

A, B

20:59

   Eu me apaixonei por A quando estava na faculdade ainda. Nós fazíamos parte do mesmo grupo de amigos e naquela época minha timidez me impedia de perguntar se ele gostaria de sair comigo qualquer dia. Mas então o destino me mostrou que se for para ser, será.
   Era uma tarde quente quando ele quase quebrou meu nariz. Estávamos reunidos na casa de um amigo, jogando conversa fora, comendo e bebendo; fazendo jus a nossa juventude quando senti uma forte dor no centro de meu rosto. A primeira coisa que vi quando abri os olhos depois da queda foi seu cabelo caído em minha direção. Suas feições preocupadas vieram depois e então vi seus lábios. Não conseguia falar nada porque doía o simples mover de lábios, mas poderia ser também a tensão de tê-lo tão próximo de mim. Senti seus braços ao meu redor, me dando suporte para me levantar. E foi sentada na pia do banheiro, enquanto ele limpava o sangue que havia escorrido de meu nariz (que estava em minha roupa também) e pedia desculpas pela bolada que havia me dado, que notei que lembraria dele por muito tempo.
   Foi com o cair de folhas que tomei coragem para segurar a mão dele pela primeira vez. Amei cada segundo do nervosismo, do encaixar dos dedos, do carinho nas costas da mão, da pele arrepiada. Amei a maneira como minhas bochechas se esquentaram e como ele aceitou meu amor de bom grado. Amei o jeito que ele me olhava e como mexia em meu cabelo com tanta atenção. Foi com o cair de folhas que tomei coragem para amá-lo de verdade, com todo meu coração. Foi com o cair das folhas que entendi que poderia confiar, esperar e compreender.
   A neve do ano seguinte estava lá para ser palco de nosso amor ainda sim. Depois de trezentos e vinte e três "eu te amo", noventa e sete vezes que contei as pintas em suas costas enquanto ele dormia; depois de quarenta e dois filmes, oitenta e um encontros românticos, duzentas e quatro ligações e mensagens incontáveis, eu continuava amando ele. E ele continuava me amando também. Mesmo com as diferenças, mesmo com os desentendimentos, A continuava lá para me fazer feliz. Só que foi quando a neve parou de cair, que ele me levou até minha praia favorita e mudou nosso destino. Naquele dia, lembro de sentar o mais longe dele possível. O ônibus que nos levou parecia estar pesado demais, fazendo o caminho de volta mais devagar, e enquanto A olhava pela janela, eu brincava com os botões de meu cardigan e deixava o choro lavar minha alma triste e olhos infelizes.
   Quatro anos depois, a primavera me acordou para dizer que o destino ainda estava lá para cuidar de meu coração. "O que tiver que ser, será". O destino e o amor são interessantes porque não há como saber suas façanhas: eu estava lá, olhando o mar, na mesma praia de anos antes, admirando o vento e a simples existência de tudo. Ele chegou, mexeu em minha orelha e sorriu em minha direção. B beijou minha bochecha e perguntou se eu queria sorvete. Eu respondi que sim. Sentados na areia, deixando chocolate gelado escorrer por meus dedos, falei sobre como A havia sido importante para mim e havia anunciado naquela mesma praia, anos atrás, que estava se mudando para outro país por conta de seu trabalho. Não contei que ele havia me pedido para ir junto; só disse que algumas pessoas nos marcam para sempre e que era lindo como não entendíamos a vida completamente. B concordou e olhou para o mar, permitindo que minha nostalgia se alojasse no corpo e me deixasse calma.
   Acabei me casando com B antes de começar um mestrado. B não era nada parecido com A; nem fisicamente, nem pela personalidade. Eles não eram parecidos, porém eu procurava não os comparar de qualquer forma. Eu só comparava o amor. E amor amor, não a intensidade. Eu comparava o amor em si, o sentimento e como ele chega. O amor e como algumas vezes ele chega intenso e inesperado como uma bolada no rosto e outras vezes vem lentamente, através de um melhor amigo, de um desconhecido, de um alguém que não esperamos. O amor chega e eu não sei em que parte do mundo A está, mas espero que ele pense no amor da mesma forma que eu: nosso amor existiu porque precisava existir e, mesmo tendo acabado, sempre será uma parte de mim. 

hi, hey, hello

17:36
   Quando eu disse adeus, não medi as consequências. Não pensei que minhas histórias não seriam lidas mais, que os artistas que cantam "oh oh oh" nos meus fones de ouvido não seriam mais compartilhados aqui ou que meus surtos sobre viagens ficariam contidos da internet. Eu não medi como sentiria saudade e por isso escrevi meu último adeus.
   Meu último adeus como Não Gosto de Unicórnios.
   E agora isso é um olá como Hi Moonlight. 
   O que você acha?
   Hi Moonlight soa bem aos meus ouvidos. Se quando eu ficar famosa, meu nome de palco será moonlight; eu posto covers com o nome moonlight; eu adoro como "hi moonlight" flutua na voz e então achei justo linkar o blog - que é algo tão importante para mim - com minha vida dos sonhos. E foi isso. Simples assim.
   Hi Moonlight é quase um Não Gosto de Unicórnios 2.0. As postagens terão os mesmos tons de antes e vai continuar sendo só eu na direção de toda essa budega aqui, ou seja, só mudei o nome e o layout mesmo; de resto vou procurar me dedicar mais para ótimas postagens e quem sabe ter ainda mais leitores.
   Então é isso: hey, hello, moonlight.
   Hi, moonlight.